quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Nós


Corpos ardentes
Nesse querer encandescente
Sua alma se encapela
A minha tímida se esmera
Nossas linguas se misturam alucinadas
Nossas mão ainda desenfreadas
E o prazer grita na madrugada
TEndo a lua descortinada
E cada um pede um pouco mais
O amor é mãgico quando com amor se faz
Nada se repele e o ato se repete
O prazer mais uma vez grita na madrugada
Dois seres completos
Corpos ainda entrelaçados
Munha alma se recolhe embriagada
Teu corpo descansa calado
Felicidade flui no ar
E ~e tanta,que, já nem precisa o verbo conjugar.

Um comentário:

Nya disse...

Gostei mto do que li...uma escrita conjugada com um romantismo bastante interessante...é bom ler algo, onde se consegue sentir a paixão que alguém incute nas palavras...gostava mto que lesses um pouco da minha escrita e saber a tua opiniao...

Continua escrevendo, é mto bom ler palavras com sabedoria...